EA097 - TÉCNICAS EXPERIMENTAIS EM ENGENHARIA BIOMÉDICA

 

OF

T

P

L

S

SL

C

6 2 2 0 4 4 4
Período de Oferecimento da Disciplina, segundo a convenção:
1 - Primeiro Período Letivo
2 - Segundo Período Letivo
5 - Ambos os Semestres Letivos.
6 - A Critério da Unidade
Horas-aula Semanais de Teoria Horas-aula Semanais de Prática Horas-aula Semanais de Laboratório Horas-aula Semanais Horas-aula Semanais em Sala Crédito da Disciplina, Relativo a um período letivo de quinze semanas

 

Pré Requisitos  
 

        

Ementa

Medição de potenciais neuroelétricos e estudo de propriedades do potencial de ação. Atividade elétrica e mecânica do músculo esquelético. Eletromiograma. Eletrocardiograma. Propriedades elétricas e contráteis do músculo cardíaco. Resposta a drogas.

 

Ementa Detalhada

PROPOSTA DE EMENTA REDUZIDA Teoria: Biofísica de Membranas. Excitação e condução de biopontenciais � modelos matemáticos e simulação. Teoria dos circuitos locais. Modelo de Hodgkin-Huxley. Anatomia do coração. Bases do eletrocardiograma (ECG). Bases moleculares e físicas da contração muscular. Sistemas neuro-sensoriais. Laboratório: Medição de potenciais através de membranas semi-permeáveis. Verificação da equação de Nernst. Simulação da geração e condução de potenciais de ação nervosos e muslulares. Anatomia do coração de mamíferos. Medição a atividade contrátil cardíaca. Medição do ECG. Inspeção e uso de instrumentos e dispositivos biomédicos. Ementa detalhada: 1. Revisão da origiem dos biopotenciais ee quação de Nernst. Teoria e revisão da biofísica de membranas. Potencial de membrana em repouso. Visão simplificada do sistema nervoso. Sistemas sensoriais. Uso de membrana semipermeável para estudo do potencial de membrana. 2. Potencial de ação (PA). Significado físico da despolarização celular. Estímulo adequado e propriedades do pontencial de ação. Fases do potencial de ação nervoso e cardíaco. Modelo de Hodgkin-Huxley (resumo). Uso de modelos computacionais para estudo dos PAs nervoso cardíaco. 3. Condução de potenciais de ação no nervo. Teoria dos circuitos locais da condução nervosa. Modelo de núcleo condutor. Uso de modelos computacionais para estudo das propriedades de cabo condutor em axônio gigante de lula. Uso de modelos para estudo da teoria da condução nervosa. 4. Anatomia geral do coração de mamíferos. Uso de corações de porco ou de cão para inspeção de elementos da anatomia macroscópica, tais como, vasos de admissão e de expulsão do sangue das cavidades cardíacas, estrutura das câmaras cardíacas, válvulas, músculos papilares, artérias e veias do sistema de nutrição do coração, tecidos de revestimento. 5. Bases do eletrocardiograma (ECG) e da eletrocardiografia clínica. Modelo do dipolo para explicar a origem do ECG. Uso do modelo do dipolo elétrico para estudar a origem do ECG. Bases da instrumentação para eletrocardiografia. Uso do eletrocardiógrafo para medição do ECG humano em condições de repouso e em execício. 6. Contração muscular. Músculo esquelético e músculo cardíaco. Acoplamento excitação contração no músculo estriado. Estudo experimental e com uso de modelos de fenômenos básicos da atividade elétrica e contrátil: curva comprimento-tensão, curva intensidade-duração, contração isométrica, resposta pós-pausa, curva força-freqüência, extra-sístoles. 7. Técnicas de redação de trabalhos científicos. Os exercícios são sugeridos para serem resolvidos no laboratório ou eventualmente em casa, fazendo uso de modelos. O aluno deve apresentar um relatório com formato de uma publicação científica resumida. O modelo, fornecido co o material didático, é discutido ao longo do curso para que os alunos tenham maior clareza do que significa relatar resultados experimentais. Muita ênfase é dada na redação e nos argumentos para redação de modo geral.

 

Bibliografia

J.W.M. BASSANI �Notas de aula da disciplina EA997. FEEC/UNICAMP, revisão 2003. D.M. BERS �Excitation-Contraction Coupling and Cardiac Contractile Force� Kluwer Academic Publishers, 2rd ed., The Netherlands, 2001. E.A.C. GARCIA �Biofísica� Sarvier, São Paulo, 1997. F.H. NETTER �Ilustrações Médicas� vol.5 Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 1976. N. SPERELAKIS �Cell Physiology� 2nd ed. Academic Press, USA, 1998. T.F. WEISS �Cellular Biophysics� vol.2, The MIT Pres, USA, 1997. C. YOKOCHI, ROHEN, J.W., WEINREB, E.L. �Anatomia Fotográfica do Corpo Humano� 3a. ed., Ed. Malone, São Paulo, 1989.

   
Professor(es) Responsáve(l/is) pela Atualização  01/06/2009