Brasileira que duplicou a velocidade de internet conta sua trajetória na Unicamp e na Inglaterra

Lidia Galdino, mestre e doutora pela FEEC, liderou projeto alcançando o recorde mundial de conexão por fibras ópticas

Uma pesquisa liderada pela professora doutora Lidia Galdino ganhou repercussão nacional, depois de publicada na edição de julho da revista IEEE Photonics Technology Letters. Ela está à frente de um grupo da University College London (UCL) que estabeleceu uma conexão de internet por fibra óptica a 178 Tb/s (terabits por segundo), duas vezes mais rápida do que as melhores conexões de fibra disponíveis no mercado e 20% maior do que o recorde anterior obtido por pesquisadores no Japão (150 Tb/s). Esta velocidade permite fazer o download de todo o conteúdo da Netflix em alta definição em apenas alguns segundos.

Os detalhes técnicos do feito tecnológico conquistado pelo grupo de pesquisadores da UCL estão em texto à parte na página. Nesta entrevista, procuramos colher opiniões de Lidia Galdino sobre a formação que recebeu na Unicamp e as condições de pesquisa em sua área no Brasil, em comparação com as da fronteira do conhecimento, onde se encontra. Lidia possui graduação em engenharia de telecomunicações pela Universidade de Taubaté (2005), mestrado (2008) e doutorado (2013) em engenharia elétrica pela Unicamp e pós-doutorado (2017) em engenharia elétrica e eletrônica na University College London, onde é professora assistente e Pesquisadora Fellow da Royal Academy of Engineering.

Confira a noticia completa no portal da Unicamp