A História da FEEC

Em 11 de setembro de 1965, o então Governador do Estado de São Paulo, Sr. Adhemar Pereira de Barros, nomeou uma comissão composta pelos Profs. Zeferino Vaz, Paulo Gomes Romeo e Antônio Augusto de Almeida, para instalar a Universidade Estadual de Campinas, continuando a implantação da Faculdade de Medicina e planejando e instalando as demais unidades integrantes, criadas através da Lei Estadual 7.655 de 28 de dezembro de 1962.

Esta comissão, em seu relatório, descreve as providências tomadas para regularizar a vida científico-didática e administrativa da Universidade e, entre outras, a proposta de instalação e funcionamento da Faculdade de Engenharia de Campinas agregando os cursos de Engenharia Elétrica e Engenharia Mecânica.

Em meados de 1966, esta comissão foi procurada por representantes das grandes indústrias da região que expuseram a carência de mão-de-obra especializada e vinham oferecer apoio à Universidade para que esta, com capacidade seletiva de corpo docente, pudesse assegurar a boa qualidade dos professores e implantar os cursos imediatamente.

Destas interações com o setor industrial, a Faculdade de Engenharia tomava seus contornos. As indústrias da região colocavam à disposição da Universidade suas instalações, para o ensino regular de disciplinas específicas, e oferecia vagas de estágios para os estudantes. Nascia assim um modelo de universidade onde ensino, pesquisa e extensão são indissociáveis.

Assim, em 1967, foi nomeado o Prof. José Fonseca Valverde, como primeiro diretor da então Faculdade de Engenharia de Campinas. Em 1970, assumiu a direção o Prof. Theodureto Henrique Arruda de Faria Souto. Um ano depois, o Prof. Manoel Sobral Jr. o substituiu. Com este último, a FEC assumiu seu aspecto definitivo: corpo docente profissional, bem qualificado, dedicado em tempo integral ao ensino e à pesquisa.

Sucederam na direção da Faculdade de Engenharia de Campinas os Professores Maurício Prates de Campos Filho e Hélio Waldman.

No início dos anos 80 o departamento de engenharia elétrica assistiu o crescimento rápido e vigoroso do quadro de docentes e das atividades executadas pela área devido aos enormes investimentos estatais realizados em setores como hidroeletricidade, telecomunicações e computação que atingiram fortemente a Faculdade.

Desta rápida expansão surgiram alguns problemas de ordem gerencial que levaram à discussão e proposta de um novo tipo de modelo administrativo. Em 1985, o departamento de engenharia elétrica já contava com mais de 100 docentes e algumas centenas de alunos, sendo o maior departamento da Unicamp à época.

Durante o mandato do Prof. Hélio Waldman foi proposta a criação da Faculdade de Engenharia Elétrica que, no ano seguinte, viria a acomodar as demandas de coordenação das atividades. Surgiram dez departamentos representando as grandes áreas de pesquisa e coordenando, integralmente, as atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Esta nova estrutura possibilitou a consolidação de um programa de doutorado de excelência, de nível internacional, e a expansão do relacionamento com a comunidade, incluído neste quesito as interações com o setor empresarial e de pesquisa. Os primeiros convênios de desenvolvimento tecnológico com empresas de grande porte como: CTB, Metrô e a antiga Telebrás, entre outras, reflete esse período.

O primeiro diretor Pro Tempore da Faculdade de Engenharia Elétrica foi o Prof. Evandro Conforti, sucedido pelos Professores Hermano de Medeiros Ferreira Tavares, Mauro Sérgio Miskulin e Wagner Caradori do Amaral.

Novamente a conexão com o setor produtivo influenciou a alteração curricular do curso de engenharia elétrica nos anos seguintes, culminando na criação do curso de engenharia de computação, cuja administração foi compartilhada com o departamento de ciência da computação do IMECC.

Essas transformações levaram a FEE a se destacar na área de engenharia de computação por meio de atividades de graduação, pós-graduação, projetos de pesquisa e de serviços à comunidade.

Em 1996, durante o mandato do Prof. Dr. Wagner Caradori do Amaral foi proposta nova alteração do nome da Escola em vista do aumento da importância e visibilidade da computação nos mais diversos setores da sociedade a partir da década de 70. A Faculdade se consolida como instituição de pesquisa e ensino voltada para a inovação tecnológica conectada às necessidades da sociedade.

Deste modo, o Conselho Universitário aprovou, em 26 de março de 1996, a alteração do nome da faculdade, que foi publicada como ato do governador Mario Covas em 2 de julho de 1997. O nome Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) veio traduzir com maior fidelidade o conjunto de atividades desenvolvidas na unidade, oferecendo a visibilidade adequada de sua atuação.

O primeiro Diretor da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação foi o Prof. Wagner Caradori do Amaral assistido pelo Prof. Amauri Lopes, seguido pelos Professores Léo Pini Magalhães, Christiano Lyra Filho, Max Henrique Machado Costa e seus respectivos Diretores Associados, Professores: Sigmar Maurer Deckmann, João Marcos Travassos Romano e José Raimundo de Oliveira.

Em setembro de 2012, durante o mandato dos Professores José Antenor Pomilio (Diretor) e João Bosco Ribeiro do Val (Diretor Associado) a FEEC iniciou discussões e estudos a respeito de sua estrutura departamental.

Ao longo de 2013, as discussões se intensificaram; houve a extinção de 5 departamentos. Ao final do processo a FEEC manteve 4 departamentos e deu origem a um novo, otimizando seu funcionamento.

A Escola permanece em processo de revisão e acomodação de linhas de pesquisa e áreas de atuação. Deste movimento novas estruturas foram criadas para atender demandas de comunicação, internacionalização, inserção das pesquisas, expansão do relacionamento com a sociedade entre outras.

Próximo a completar 50 anos como departamento de engenharia elétrica e 30 anos como faculdade autônoma, a FEEC mantem sua excelência acadêmica, criatividade inventiva e curiosidade investigativa, que levaram, e levam, a FEEC ao topo dos rankings.

 


Marcos Históricos

 

Pós-Graduação

A pós-graduação em Engenharia Elétrica da Unicamp formalmente iniciou suas atividades em 1972, com a implantação da Comissão de Pós-graduação (CPG) da então Faculdade de Engenharia de Campinas, que congregava os cursos de Engenharia Elétrica e de Engenharia Mecânica. Nomeada pelo diretor, Prof. Manoel Sobral Jr., a primeira CPG foi composta pelos professores Dino Ferraresi, Yaro Burian Jr. e Rege Romeu Scarabucci, seu coordenador, tendo a primeira reunião em 7 de janeiro daquele ano.

A primeira tese de mestrado

A partir das 16:40 horas do dia 25 de janeiro de 1972, no anfiteatro do bloco C do Instituto de Física da Universidade Estadual de Campinas, foi defendida a primeira Tese de mestrado em Engenharia Elétrica da FEC pelo, então, aluno Ricardo Magnus Osório Galvão. Esta tese foi orientada pelo Prof.Dr. Dharmbir Rai e se intitulava "Polarização de Ondas HF através da Ionosfera". Participaram da banca examinadora os professores doutores: Dharmbir Rai, José E. Ripper Filho, Yaro Burian Junior, Rege Romeu Scarabuci (suplente), todos da Unicamp. A ata da sessão da primeira reunião da Comissão Examinadora de Tese de Mestrado da FEC-UEC foi lavrada por Alda Thereza Bartelli. Cópia da ata em pdf (232KB)

As primeiras teses de doutorado

No dia 1º de setembro de 1973, o primeiro título doutorado em engenharia elétrica fora concedido pela Faculdade de Engenharia de Campinas a Drumond Xavier Cavalcanti Lima. Esta tese intitulada "Planejamento de Reativos em Sistemas de Potência", foi orientada pelo Prof. Dr. Dirk Andrea Rheinboldt e pelo Prof. Dr. Hermano de Medeiros Ferreira Tavares. Participaram da banca examinadora os professores doutores: Savu Crivat Savalescu, da Escola de Engenharia de São Carlos, Dimetri Ivanoff, da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Amaranto Lopes Pereira, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Dirk Andreas Rheinboldt, Hermano de Medeiros Ferreira Tavares, Yaro Burian Junior (suplente) e Manoel Sobral Junior (suplente), os quatro últimos da Faculdade de Engenharia da Universidade Estadual de Campinas. A sessão da primeira reunião da Comissão Examinadora de Tese de Doutorado da FEC-UEC foi presidida pelo Prof.Dirk que também lavrou a ata. Cópia da ata em pdf (397KB)

Embora este tenha sido o primeiro título de doutorado concedido, o Prof. Drumond não era aluno do programa de pós-graduação, tendo se titulado fazendo uso dos procedimentos para doutoramento anteriormente vigentes, baseados em decretos federais da década de 1930, que exigiam apenas a apresentação de uma tese perante a banca.

Algumas semanas depois, no dia 19 de dezembro de 1973 foi defendida e aprovada a primeira tese de doutorado de um aluno do programa de pós-graduação em Engenharia Elétrica da Unicamp, intitulada “Contribuição ao Estudo do Controle de Torque em Máquina Série por Modulação em Largura de Pulso”, de autoria de Celso Pascoli Bottura, com orientação do Prof. Dr. Yaro Burian Júnior.

 

Primeira Colação de Grau em Engenharia Elétrica

Primeira Colação de Grau em Engenharia de Computação


Documentos Históricos

Abaixo é possível obter cópias de alguns documentos importantes na historia da FEEC.

 

Português, Brasil